Tag: gravidez

Nordic Maternity Program

Testemunho – Programa de Maternidade Nordic

“A ajuda da Drª Daniela Seabra e da Drª Çagla Sen, foi crucial em momentos diferentes da minha vida (posso dizer que me salvaram a vida em todos eles) 🙂

Mais recentemente com sintomas pouco comuns mas muito incomodativos durante a gravidez. Nenhum outro médico foi capaz de diagnosticar e de me ajudar.

A dedicação e estudo que elaboram de forma minuciosa assim como o acompanhamento da gravidez permitiram o meu bem estar e do meu filho, que nasceu saudável, grande e forte.

Estou eternamente grata por isso.”

Testemunho da Catarina Paixão, paciente Nordic Clinic

Quero engravidar: é suficiente fazer suplementação 3 meses antes?

Comecemos pelos factos:

  • Três meses pode ser o período definido pois é o tempo médio para um casal fértil poder engravidar;
  • A DGS recomenda iniciar pelo menos 2 meses antes a suplementação com ácido fólico de forma a prevenir malformações congénitas;
  • A nutrição, o stress e a exposição tóxica durante o período de pré-concepção e gravidez podem afetar a saude de uma família por 4 gerações.

Então, torna-se extremamente importante a otimização do estado nutricional e a mudança de hábitos para uma gravidez saudável.

E não é apenas sobre a saúde da mulher que falamos. Tanto o homem como a mulher têm um papel determinante na concepção e na saúde dos filhos a longo prazo. 

Mas então, por onde começar?

1. Atingir um peso saudável
O excesso de peso afeta a fertilidade do homem e da mulher. 
No contexto do LifeCycle Project, com dados de 25 estudos e com um total de 196,670 participantes , foi demonstrado que o IMC pré-gestação tem maior impacto no desenvolvimento de complicações na mãe e no bebé do que o peso ganho durante a gestação. 
Assim, deve ser feita uma avaliação neste sentido de forma a fazer as alterações necessárias antes da concepção. 

2. Aporte adequado de nutrientes 
Durante a gestação há um aumento das necessidades nutricionais da mulher e por isso é tão importante corrigir possíveis deficiências nutricionais antes de engravidar.
Idealmente, os nutrientes devem ser fornecidos através de alimentos mas sendo esta uma fase desafiante nesse sentido, os suplementos alimentares são necessários.
No entanto, não existe um one size fits all nesta área. Isto porque cada indivíduo vai ter um ponto de partida diferente (estado nutricional, tipo de dieta, hábitos alimentares e de estilo de vida, condições de saúde presentes, antecedentes familiares, predisposição genética, entre outros).
O ideal será começar por fazer uma avaliação da sua ingestão alimentar e avaliação bioquímica e outros testes de forma a identificar as necessidades nutricionais e elaborar assim um plano personalizado e individualizado. 

3. Evitar a exposição a substâncias tóxicas
Num artigo publicado em 2005, foram encontradas 287 substâncias químicas no sangue de cordão umbilical de 10 recém-nascidos. 
A evidência já demonstrou que estas substâncias passam através da placenta e do leite materno. Tendo os bebés e as crianças ainda em desenvolvimento e pelo seu sistema de defesa ainda incompleto, a presença destas substâncias pode representar grande risco. 

4. Gestão do stress
Sabemos que a exposição do feto a níveis de stress saudáveis e equilibrados promove o desenvolvimento do sistema nervoso central do bebé. 
Mas níveis elevados de stress durante a pré-concepção e gravidez têm impactos negativos, tanto para a mãe como para o feto, e é por isso tão importante a sua gestão. 

De uma forma resumida, a preparação para a gravidez passa por muito mais do que a suplementação da mulher por 3 meses. E tendo em conta  os casos em que ocorre uma gravidez não planeada, torna-se ainda mais pertinente a mudança dos hábitos  alimentares e de estilo de vida o mais antecipadamente possível. 

A preparação para a gravidez inicia-se a partir do momento em que o casal decide tentar engravidar e o Nordic Maternity Program foi criado para estar ao vosso lado nesta jornada e fornecer todas as ferramentas necessárias para que se sintam confiantes e acompanhados. 

Como é que atingimos estes objetivos?
Através de uma equipa que faz a avaliação e a elaboração de um plano baseado nas características individuais de cada pessoa (incluindo a informação genética), estando presente em cada passo desta caminhada. 

Referências:
LifeCycle Project-Maternal Obesity and Childhood Outcomes Study Group. Association of Gestational Weight Gain With Adverse Maternal and Infant Outcomes. JAMA. 2019;321(17):1702–1715. doi:10.1001/jama.2019.3820

ao, Y., Robinson, A.M., Zucchi, F.C. et al. Ancestral exposure to stress epigenetically programs preterm birth risk and adverse maternal and newborn outcomes. BMC Med 12121 (2014). https://doi.org/10.1186/s12916-014-0121-6

Stephenson, J., Heslehurst, N., Hall, J., Schoenaker, D., Hutchinson, J., Cade, J. E., Poston, L., Barrett, G., Crozier, S. R., Barker, M., Kumaran, K., Yajnik, C. S., Baird, J., & Mishra, G. D. (2018). Before the beginning: nutrition and lifestyle in the preconception period and its importance for future health. Lancet (London, England), 391(10132), 1830–1841. https://doi.org/10.1016/S0140-6736(18)30311-8

Copyright © Nordic Clinic 2020